10 Perguntas que podem te salvar na sua anamnese

844
Checklist ortodontia

Hoje vou falar de alguns tópicos que podem ser abordados na nossa anamnese e que podem nos livrar de complicações futuras. Afinal, “quem fala antes avisa, que diz depois está se desculpando.”

Perguntas para enriquecer sua anamnese (e te poupar dores de cabeça)

1. Alergias

O problema

Apesar de ser relativamente rara, a dermatite de contato é desencadeada quando um material alérgeno fica em contato com a mucosa de um paciente.

A dermatite de contato geralmente se apresenta como vermelhidão e descamação da mucosa. O níquel, muito presente nos materiais usados na ortodontia pode ser um desencadeador em potencial. Outros materiais que podem ser causadores são o látex usado nas luvas e o acrílico de aparelhos removíveis.

O que fazer

Tente determinar qual material é causador da alergia e substituí-lo por um não alérgico, como materiais nickel-free e luvas de vinil.

2. Diabetes

O problema

Um problema de saúde muito comum em pacientes adultos, o diabetes apresenta correlação com aumento de doença periodontal. Isso ocorre porque a doença afeta a resposta imune, tecido conjuntivo, sistema circulatório e composição salivar 1.

O que fazer

Se informe da situação da doença com o paciente e/ou médico e fique atento às condições periodontais. É recomendado o acompanhamento do caso por um periodontista.

3. Epilepsia

O problema

Pacientes acometidos por epilepsia precisam usar medicamentos para ajudar no controle das crises epilépticas. Entre os princípios ativos utilizados nestes medicamentos estão Fenobarbital, Benzodiazepínicos e Fenitoína. Existe na literatura relação entre o uso destes medicamentos e o desenvolvimento de hiperplasia gengival medicamentosa2.

O que fazer

Um excelente controle da higiene oral é indicado. Muitas vezes pode ser necessária a intervenção cirúrgica por parte do periodontista durante o tratamento.

4. Condições de válvula do coração

Problemas cardíacos e ortodontia

O problema

Pacientes que apresentam estas condições têm um maior risco de sofrer de endocardite bacteriana. Uma infecção no endocardio que apesar de rara, pode levar à insuficiência cardíaca e ser fatal. Bandas ortodônticas podem ser um foco em potencial para o acúmulo de microorganismos que podem entrar na corrente sanguínea e levar ao desenvolvimento da doença3.

O que fazer

O risco de endocardite relacionada à ortodontia parece ser pequeno, mas há recomendações de profilaxia antibiótica em casos específicos 4.

Apesar de rara, a doença pode ser letal. É recomendado perguntar sobre doenças cardíacas congênitas, histórico de condições de válvula cardíaca ou instalação de válvula cardíaca protética. Solicitar um parecer médico por escrito previamente ao tratamento ortodôntico, uso de clorexidina 0,2% antes das consultas ortodônticas.

5. Gravidez

gravidez ortodontia

O problema

A gravidez apresenta importantes problemas para o tratamento ortodôntico que devem ser levados em consideração. Radiografias não são recomendadas durante a gravidez e pode haver um aumento na possibilidade de hiperplasia gengival devido à influência hormonal. Finalmente, pode haver algum desconforto na alimentação devido à dor da movimentação dentária que pode prejudicar a nutrição.

O que fazer

Se possível, adiar o tratamento. Caso a gravidez ocorra durante o tratamento, peça para a futura mãe assinar um termo de consentimento adaptado informando-a sobre os possíveis problemas que podem acontecer durante a gravidez e principalmente a dificuldade de usar exames de imagem na sua prevenção e tratamento.

6. Osteoporose

O problema

Pacientes que apresentam quadro de osteoporose têm uma hiperatividade dos osteoclastos que resulta em uma osteopenia. Frequentemente precisam recorrer ao uso de bifosfonatos como parte do seu tratamento. Esses medicamentos atuam sobre a remodelação óssea ao induzir a morte celular de osteoclastos, reduzindo a velocidade da remodelação óssea. Porém, ainda não há evidência sólida de que estes medicamentos podem afetar ou não a velocidade da movimentação ortodôntica 5.

O que fazer

Pelo sim, pelo não, avise o seu paciente de que talvez o uso de bisfosfonatos pode estar associado a um atraso no tratamento ortodôntico. Lembre-se de comunicar que ainda não há evidência sólida de que esses medicamentos vão afetar o tempo de duração do tratamento, mas isso apenas quer dizer que não sabemos e não que isso não pode ocorrer.

7. Xerostomia e disfunções de glândulas salivares

xerostomia

O problema

Essas condições causam redução do fluxo salivar em pacientes e estão relacionadas a um aumento na incidência de cáries, candidíase oral, disgeusia e sensação de queimação na mucosa oral.

Medicamentos para osteoporose, tratamento de déficit de atenção e hiperatividade, anti-depressivos, anti-psicóticos, diuréticos, anti-hipertensivos, anti-convulsivantes e supressores de apetite podem apresentar associação com essas condições 6.

O que fazer

Monitorar o paciente para o risco aumentado de cáries. Se necessário considerar o uso de enxaguatório com flúor e acompanhamento profilático por parte de um clínico geral.

8. Artrite reumatóide

O problema

Pacientes com artrite reumatóide podem apresentar risco aumentado para o surgimento de disfunções temporomandibulares. Isso pode se tornar um problema sério para o ortodontista caso a DTM se manifeste durante o tratamento ortodôntico e o paciente acabe nos culpando pelo surgimento do problema.

Esse risco é notado em pacientes que apresentam artrite reumatóide juvenil que é mais severa do que em adultos e podem causar danos à ATM e anquilose condilar.

O que fazer

Encaminhe pacientes com histórico de artrite reumatóide para avaliação com um especialista em dor orofacial e disfunção têmporomandibular. Dividir a responsabilidade e ter o respaldo de um especialista na área pode ser fundamental para evitar grandes problemas. A relação entre DTM e ortodontia ainda não foi comprovada, mas alguns autores consideram que procedimentos que causam estresse na ATM como elásticos e aparelhos funcionais devem ser evitados.

9. Paciente passando por quimio e radioterapia

O problema

Pacientes que passam por esses procedimentos apresentam, além do aspecto emocional envolvido, apresentam condições bem específicas que devemos ficar atentos.

Em terapias iniciadas antes do desenvolvimento dos dentes, observamos frequentemente encurtamento radicular e defeitos no esmalte.

Caso a terapia tenha início durante o tratamento ortodôntico e o paciente opte por continuar com o mesmo, devemos ficar atentos ao desenvolvimento de xerostomia, lesões nas mucosas (causadas também pelo aparelho ortodôntico) e infecções orais.

O que fazer

Converse com o paciente e/ou seus responsáveis. A interrupção do tratamento pode ser uma opção; explique que o conforto e segurança do paciente serão melhorados durante a quimioterapia se o aparelho for removido. Divida essa responsabilidade com o paciente, os responsáveis e o médico.

10. Desordens de coagulação

O problema

Apesar de o tratamento ortodôntico não ser contra-indicado nestes pacientes, essas condições devem ser levadas em considerações caso o planejamento envolva extrações. Além do mais, estes pacientes podem apresentar sangramento gengival e em mucosa.

O que fazer

Mantenha uma ótima higiene oral durante o tratamento para evitar sangramentos gengivais. Evite ao máximo irritação crônica relacionada aos dispositivos ortodônticos, isso pode ser alcançado ao utilizar ligaduras elásticas ao invés de metálicas, uso de cera ortodôntica e manter o tempo de tratamento o mais curto possível.

 

Alexandre da Veiga Jardim
Cirurgião-dentista, especialista em ortodontia pela ABO-GO e mestrando em ciências da saúde pela UFG.
  1. Alves C et al. Mecanismos Patogênicos da Doença Periodontal Associada ao Diabetes Melito. Arq Bras Endocrinol Metab 2007;51/7
  2. Lima, R. Hiperplasia gengival medicamentosa associada ao uso de inibidores da calcineurina: revisão de literatura. Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa São Paulo. 2009; 54(3): 113-8
  3.  Wilson W et al.  Prevention of infective endocarditis: Guidelines from the American Heart Association: A guideline from the American Heart Association Rheumatic Fever, Endocarditis, and Kawasaki Disease Committee, Council on Cardiovascular Disease in the Young, and the Council on Clinical Cardiology, Council on Cardiovascular Surgery and Anesthesia, and the Quality of Care and Outcomes Research Interdisciplinary Working Group Circulation 20071161736–54.
  4. Burden et al. Orthodontic treatment of patients with medical disorders. Eur J Orthod. 23(2001) 363-72.
  5. Consolaro A, Consolaro  MFMO. Controvérsias na Ortodontia. Maringá: Dental Press, 2008
  6. Wolff A et al. A Guide to Medications Inducing Salivary Gland Dysfunction, Xerostomia, and Subjective Sialorrhea: A Systematic Review Sponsored by the World Workshop on Oral Medicine VI. Drugs R D. 2017 Mar;17(1):1-28. doi: 10.1007/s40268-016-0153-9.

Comentários

comentários