Fazer clareamento dentário antes ou depois do tratamento ortodôntico?

2302

O clareamento dental é uma boa opção para as pessoas que buscam estética e não querem usar facetas de porcelana. Muitos pacientes que pensam em fazer o tratamento ortodôntico ou já estão fazendo desejam também fazer o clareamento dental. Mas é melhor fazer antes ou depois de usar o aparelho ortodôntico? O clareamento afeta seu tratamento?

Efeitos do clareamento nos dentes

Todos os clareadores dentários são à base de peróxido de hidrogênio (ou seja, água oxigenada) em concentrações e formulações variadas, como líquido, gel, creme e recebem nomes diferentes como peróxido de carbamida, perborato de sódio, etc… Esses materiais atuam dilatando os poros da superfície do dente (o esmalte), para que o agente clareador possa penetrar no esmalte realizando seu efeito clareador.

Como o clareamento afeta o tratamento ortodôntico?

Devido ao seu efeito sobre a superfície dos dentes, o clareamento aumenta o nível de descolamento dos brackets (as peças do aparelho). Se feito durante o tratamento, a quantidade de descolamentos aumenta mais ainda, pois o agente clareador vai afetar a resina que une o bracket ao dente. Mais descolagens significam um tratamento mais longo. Então, o ideal é fazer o procedimento clareador após o tratamento ortodôntico. E se você já fez clareamento, lembre-se de informar isso ao seu ortodontista, pois pode afetar seu tratamento.

Outras informações importantes sobre o clareamento dentário

Nessa imagem o dentista usa um material isolante (verde) para impedir que o clareador (vermelho) entre em contato com a gengiva.

A ANVISA recentemente proibiu a venda de gel clareador sem a receita do cirurgião-dentista. Essa é uma medida louvável, pois estudos estimaram que mais de 75% das clareações dentárias eram realizadas sem supervisão profissional. Os agentes clareadores afetam as restaurações já presentes na boca, pois são feitas de resina, assim como o material utilizado para a colagem de aparelhos. Essas restaurações tendem a ter um aumento de infiltrações, que podem levar a lesões de cáries futuramente. Também aumentam em quase todos os pacientes a sensibilidade dentária, pela sua atuação sobre o esmalte do dente.

O peróxido de hidrogênio também tem efeitos sobre a mucosa bucal: estudos relataram aumento nos processos carcinogênicos (cancerígenos) já iniciados por outros fatores, como cigarro, álcool e vários alimentos e produtos industrializados. Por esses motivos temos a necessidade da supervisão do tratamento por um cirurgião-dentista, pois ele terá vários cuidados como a proteção da gengiva, fluoretação dos dentes pós-clareamento e cuidados com alimentação.

Além disso, o cirurgião-dentista vai avaliar a história médica e dentária de cada paciente, julgando se é indicado ou não o clareamento, quais as opções e qual o melhor momento para se fazê-lo. Clarear os dentes não é um procedimento puramente estético! Pode ter consequências e efeitos colaterais para a polpa dos dentes e tecidos gengivais. Então, sempre procure um profissional qualificado.

Alexandre da Veiga Jardim
Cirurgião-dentista, especialista em ortodontia pela ABO-GO e mestrando em ciências da saúde pela UFG.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta