Mordida profunda, o que é? Como tratar?

14088

A mordida profunda é um problema ortodôntico relativamente comum. Damos a ela esse nome porque os incisivos (dentes da frente) inferiores ficam encobertos pelos incisivos superiores. E a mordida fica mais “funda” do que o ideal.

A correção da mordida profunda depende muito do que está causando ela e é fundamental que seu ortodontista faça o diagnóstico e planejamento antes de começar o tratamento.

Mordida profunda: características

Geralmente observada pela cobertura excessiva dos incisivos inferiores pelos superiores. Podemos considerar uma mordida profunda quando há cobertura de mais de 3mm dos incisivos inferiores.

Mordida profunda e danos à gengiva e dentes

Em alguns casos, os incisivos inferiores chegam a tocar na gengiva logo atrás dos superiores. A longo prazo, isso pode causar danos a gengiva destes dentes.

Esse tipo de traumatismo pode ser uma indicação para o tratamento da mordida profunda o quanto antes!

Um outro problema que pode aparecer a longo prazo é o desgaste dos dentes inferiores anteriores. Estes dentes acabam sofrendo uma sobrecarga durante a mastigação: eles  sofrem um atrito excessivo durante os movimentos da mandíbula. Isso pode ser observado no vídeo abaixo:

O que pode causar a mordida profunda?

1. Dentes inferiores extruídos

Muitas vezes os dentes inferiores estão extruídos. A extrusão é o movimento do dente no sentido vertical, para fora do osso.

A extrusão pode ser feita com o aparelho ortodôntico, mas também é observada naturalmente nas pessoas.

Quando o dente não toca seu antagonista (o respectivo dente na arcada oposta), ele com frequência realiza a extrusão. É como se nosso próprio corpo buscasse compensar uma deficiência que está ocorrendo: no caso, a de toque entre dentes da nossa arcada.

mordida profunda radiografia
A seta mostra a posição alterada dos incisivos inferiores.

2. Dentes superiores extruídos

O mesmo pode acontecer com os dentes superiores. Nesse caso, o paciente pode também apresentar sorriso gengival com certa frequência (exposição excessiva da gengiva ao sorrir ou falar).

Sorriso Gengival
Sorriso gengival com extrusão dos dentes superiores.

3. Retrognatismo mandibular

Quando a mandíbula está pouco desenvolvida, para trás, os incisivos inferiores podem estar em uma posição onde não há o toque com seu antagonista. Nessa situação, frequentemente observamos que a falta de contato leva esses dentes a se desenvolverem de maneira excessiva no sentido vertical, o que leva a mordida profunda.

O problema é que muitas vezes o dente acaba tocando a gengiva ao invés do dente oposto, devido ao fato de a mandíbula estar “para trás”.

Além disso, a mordida profunda funciona como um bloqueio que pode impedir a mandíbula de ter seu crescimento natural. Com isso, um problema dentário (a mordida profunda) pode estar contribuindo para um problema esquelético (o retrognatismo).

Mordida profunda e retrognatismo
Sobreposição mostrando como a mandíbula dessa paciente se encontra para trás.

4. Musculatura da mastigação muito forte

Pacientes que tem a musculatura facial muito forte (hipertônica) podem apresentar com certa frequência a mordida profunda. Nessa situação, ocorre algo um pouco diferente: ao invés de serem os dentes anteriores que estão extruídos, são os posteriores que estão intruidos (movimento contrário a extrusão).

A força da musculatura em alguns pacientes é tão grande que os dentes posteriores são forçados para dentro dos ossos da maxila e mandíbula.

O resultado dessa intrusão dos dentes posteriores é frequentemente uma das causas da mordida profunda.

Pessoas com rosto mais forte (geralmente de aparência mais quadrada – conhecida como braquifacial), têm maior tendência a desenvolver o problema.

5. Perdas de dentes

Perdas de dentes posteriores podem ter um efeito similar ao citado acima.

Pacientes com perdas extensas de dentes posteriores podem exibir mordida profunda pois não há sustentação posterior da mandíbula e ocorre um “encurtamento” do rosto (chamamos de perda de dimensão vertical).

6. Alterações no desenvolvimento da face

Boa parte desses problemas citados acima pode ocorrer se a face apresentar alterações no seu desenvolvimento. Acaba que tudo têm uma relação:

Pacientes retrognatas podem desenvolver mordida profunda. Nestes pacientes a deficiência de desenvolvimento da mandíbula desencadeia um mal relacionamento dentário, provocando a extrusão dos dentes anteriores inferiores e levando à mordida profunda.

Alguns pacientes com sorriso gengival podem exibir mordida profunda devido ao excesso de desenvolvimento vertical da maxila (o osso onde estão os dentes superiores). Esses pacientes podem desenvolver uma mordida profunda também.

Quando se fala de alterações no desenvolvimento da face, existem inúmeras variáveis que devem ser consideradas pelo seu ortodontista no planejamento. Por isso que um diagnóstico cuidadoso é fundamental para saber como se tratar o paciente com mordida profunda.

Essa paciente tem um rosto com crescimento mais horizontal (observe como a mandíbula é quadrada, evidenciado pelas linhas vermelhas). Nas fotos ao lado vemos como os incisivos inferiores chegam a tocar na gengiva dos superiores.
Essa paciente tem um rosto com crescimento mais horizontal (observe como a mandíbula é quadrada, evidenciado pelas linhas vermelhas). Nas fotos ao lado vemos como os incisivos inferiores chegam a tocar na gengiva dos superiores.

E como é feito o tratamento da mordida profunda?

Isso vai depender da causa da mordida profunda.

Dentes extruídos podem exigir que seja feita a intrusão. Isso geralmente é feito com aparelho ortodôntico, seja no arco superior ou inferior.

Pacientes que sofreram perdas de dentes posteriores que levaram ao desenvolvimento de uma mordida profunda precisam passar por reabilitação com implantes ou prótese.

Pacientes que apresentam uma musculatura muito forte são um desafio. O ortodontista têm artifícios que podem ser utilizados para contrabalancear essa força muscular. Mas é importante a colaboração do paciente, principalmente no período após o tratamento ortodôntico (contenção). Esses pacientes tem uma chance maior de recidiva (voltar a apresentar o problema após o fim do tratamento).

Pacientes que apresentam retrognatismo associado à mordida profunda podem tentar tratamento ortopédico funcional. Esse é um tipo de tratamento que visa ajudar a orientar o crescimento da mandíbula. É realizado em pacientes em crescimento. Tende a ter bons resultados na correção de mordida profunda.

Pacientes que já não estão em crescimento podem necessitar de auxílio de cirurgia em casos mais complexos. Para isso o planejamento do caso é feito com o ortodontista e o cirurgião bucomaxilofacial. Esse é um assunto extenso e complexo e só uma postagem de blog não seria suficiente para discutir a correção cirúrgica da mordida profunda.

Como saber qual tratamento vai resolver minha mordida profunda?

A pessoa indicada para te ajudar com isso é seu ortodontista. Apenas um diagnóstico e planejamento criteriosos, baseados na avaliação clínica do ortodontista e nos exames complementares (fotos, radiografias e modelos) vai poder te responder com certeza qual o tratamento ideal para a correção da sua mordida profunda.

Alexandre da Veiga Jardim
Cirurgião-dentista, especialista em ortodontia pela ABO-GO e mestrando em ciências da saúde pela UFG.

Comentários

comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde, tenho mordida profunda e gostaria de marcar uma consulta. Moro em Copacabana rj. Se não for possível marcar com o senhor, será que o senhor conhece um dentista de confiança? Agradeço.

Deixe uma resposta